quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

MANIPULAÇÃO OU CONFIANÇA: O QUE ESTÁ DENTRO DE VOCÊ?


A grande verdade a respeito dos relacionamentos é que a todo momento temos a seguinte escolha: ou confiamos, ou manipulamos. Não há meio termo.

Se nós não confiamos, manipularemos as situações para que as pessoas se comportem do jeito que queremos para nos sentirmos seguros.

Da mesma forma, se não confiamos em Deus, tentaremos manipular as situações para que Ele faça as coisas do nosso jeito, tentaremos ser santos aos nossos próprios olhos e tentaremos viver o Evangelho da nossa maneira. E o pior de tudo: se não confiamos em Deus, não temos a possibilidade de vê-lo da forma como Ele realmente é, bondoso e compassivo. Teremos sempre em nossa mente uma visão distorcida de Deus, enquanto não confiarmos nele.

Confiança é algo aprendido e começa na família com pai e mãe e os demais membros: eles são nossos modelos básicos de confiança. Se houver qualquer mágoa no nosso processo de desenvolvimento com eles, todos os nossos demais relacionamentos ficarão prejudicados, inclusive o nosso relacionamento com Deus, a quem não veremos como Pai.

Falta de confiança é um lugar de medo, um calabouço do qual somente sairemos se estivermos dispostos a perdoar para que o amor de Deus entre em nosso coração e nos cure.

"No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor" (1João 4:18 ARA).

Peça ao Espírito Santo para que Ele lhe mostre as mágoas que você tem e que prejudicaram a sua capacidade de confiar. Peça que Ele lhe mostre as dívidas emocionais que precisam ser rasgadas para que você possa ser restaurado, até mesmo aquelas que estão em oculto e você não percebe. Não aceite em seu coração qualquer falta de amor; perdoe.

Pablo Luiz Rodrigues Ferreira
pablolrferreira@hotmail.com
rugidodaverdade.blogspot.com.br

domingo, 31 de dezembro de 2017

NÃO SE DESPEDACE PARA MANTER OS OUTROS INTEIROS



Não vale a pena deixar de ser quem você é para ser "um alguém" para outra pessoa. Infelizmente, há muita gente vivendo essa falsa forma de amor: buscando a felicidade no outro, porque, lá no fundo de sua consciência, não se ama e não se aceita profunda e completamente. Saia desta cadeia, Deus lhe ama e não quer ver você vivendo a vida dos outros, mas o destino que Ele preestabeleceu para você... Se valorize em Deus e se arrependa de todas as crenças negativas que existem dentro de você a seu respeito... Viva. Arrependimento da autorrejeição é vida.

Pablo Ferreira

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

OUVINDO O CORAÇÃO DE DEUS: UMA PALAVRA SOBRE A INIQUIDADE

"Jeremias não era o 'profeta chorão', mas ele foi o homem envolvido no coração de um 'Deus chorão'" (Corey Russell).

A grande verdade a respeito do profeta Jeremias é que a intimidade dele com o Senhor o possibilitou sentir profundamente o que estava no coração de Deus e, por isso, não somente ele pôde denunciar as iniquidades do povo de Israel, mas também se compadecer da situação de miséria espiritual deles.

Deus busca nos dias de hoje filhos com quem Ele possa compartilhar aquilo está no coração dele; não porque Ele precise, mas porque Ele tem prazer nisso e também porque isso quebra cadeias profundas dentro de nós.

Sabe por que nós ainda temos a mente mesquinha? Porque nós não vimos a Glória de Deus a tal ponto de nos arrependermos das nossas iniquidades: daquilo que é torto, distorcido em nós em termos de mente e nos predispõe ao pecado; porque nós ainda não nos dispusemos a buscar ouvir o que está no coração do Pai, inclusive a nosso respeito para que andemos em caminhos de vida e justiça.

Usando a linguagem de Efésios 1:18, que os olhos do nosso coração sejam iluminados por Deus para que tenhamos acesso ao sobrenatural na intimidade com Ele e, por conseguinte, comecemos a nos arrepender e a renunciar tudo aquilo que é torto e distorcido dentro de nós e que Ele certamente nos mostrará para nos libertar.

Quanto mais a iniquidade sai de nós, mais o amor de Deus entra e nos transforma de uma maneira indizível, de modo que aquilo que está no coração do Pai passa a consumir a nossa vida em todos os aspectos e passamos a ser vasos aptos a gerar as realidades espirituais que o Senhor quer implementar na Terra.

Comece a pedir a Deus que lhe mostre a raiz de toda a iniquidade, de tudo o que é distorcido em sua mente e lhe predispõe ao pecado em sua vida para que você possa ser liberto através do arrependimento (ex: falta de perdão e raiz de amargura, mente dominada pelas paixões da carne, materialismo, religiosidade, incredulidade, intelectualismo, orgulho e vaidade, mentira, fofocas, uso da língua como fonte de maldições do outro e de si mesmo, etc.).

Somos uma geração de surdos e cegos espirituais, mas Deus nos convida para ouvir as batidas do seu coração e ver as manifestações da glória dele após passarmos pela porta do arrependimento das iniquidades.

Pablo Luiz Rodrigues Ferreira
pablolrferreira@hotmail.com
rugidodaverdade.blogspot.com.br

domingo, 3 de dezembro de 2017

DEIXE DEUS TIRAR ALGO DE VOCÊ E COLOCAR ALGO DELE


“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus” (Atos 3:19-20).

Deus quer fazer muitas coisas em nós e nos costurar por dentro de uma maneira que nós nem pensamos que é possível.

Acredite: a rendição do nosso orgulho ao Espírito Santo é uma porta poderosa de acesso ao sobrenatural de Deus em nós.

Deixe-se ser guiado por Ele. Vai valer a pena morrer um pouco mais a cada dia... Permita que, a cada encontro com Deus, Ele tire algo de você e coloque algo dele no lugar: é assim que a verdadeira unção se manifesta para que sejamos vida no ajudar ao próximo...

Pablo Ferreira
pablolrferreira@hotmail.com
rugidodaverdade.blogspot.com.br

terça-feira, 28 de novembro de 2017

CURA DAS MEMÓRIAS DA REJEIÇÃO


Então clamaram ao Senhor na sua angústia, e ele os livrou das suas dificuldades. Enviou a sua palavra, e os sarou; e os livrou da sua destruição” (Salmos 107:19,20 – Almeida Corrigida Fiel).

A rejeição causa feridas no “eu” da pessoa, as quais transcendem a esfera da alma, alcançando a mente e o coração, fazendo com que a pessoa se sinta indesejada, não querida, não aceita, não aprovada pelas pessoas e, assim, causando uma série de anormalidades emocionais e mentais na personalidade em decorrência da distorção da autoimagem e de uma autoestima negativa que a pessoa ferida em seus relacionamentos passa a nutrir, tais como ódio, rancor, ressentimento, ira, orgulho ferido, vitimização de si (achar-se vítima dos acontecimentos, sempre culpando os outros por seus fracassos e derrotas – a chamada autocomiseração), desconfiança, insegurança, inveja, competição, complexos de inferioridade, depressão, perfeccionismo, dependência emocional, doenças psicossomáticas, etc.
Todos nós passamos, em algum momento de nossas vidas, por experiências de negação do amor em maior ou menor escala, tendo recebido feridas de rejeição, sendo as mais profundas aquelas que acontecem de maneira intensa e traumática (ex: abuso sexual, psicológico, físico e/ou religioso) no período da infância e adolescência, bem como até mesmo na vida intrauterina, já que tudo aquilo que a mãe sente o feto também sente, sendo internalizada na memória dele todas as experiências de rejeição que a mãe tenha experimentado em relação a ela ou ao feto (neste sentido, consultar SEAMANDS, David. 2 ed. A Cura das Memórias. São Paulo: Mundo Cristão, 2007, p. 5-17).
As feridas mais dolorosas da rejeição também são aquelas que ocorrem no relacionamento com os pais e familiares e/ou figuras de autoridade (ex: professores, pastores, líderes), uma vez que é neste tipo de relacionamento que são formadas na mente e no coração do homem os referenciais de amor, aceitação, aprovação, identidade, valor como pessoa, segurança, autoridade. Se tais relacionamentos são prejudicados pela rejeição, a alma humana fica ferida, resultando nas distorções emocionais e mentais citadas acima, as quais serão transferidas e projetadas em todos os demais relacionamentos, isto é, acabamos por ferir as pessoas com as mesmas armas com as quais nos feriram.
As feridas da rejeição prejudicam, portanto, a nossa capacidade de nos relacionarmos de forma sadia conosco mesmos, com os outros e inclusive em relação a Deus, a quem não conseguimos ver com uma fonte de amor incondicional (neste sentido, GUILLEN, Fernando. O Espírito de Rejeição. Belo Horizonte: Ministério Se7e Montes, s/d. 2 DVD).
O antídoto para as feridas da rejeição é o perdão. O perdão é a porta de entrada do Reino de Deus; só temos a possibilidade de ter relacionamento com Deus, porque Ele primeiramente nos perdoa por intermédio do sacrifício de Cristo na cruz e, de semelhante modo, devemos perdoar as ofensas cometidas contra nós.
Toda experiência de negação do amor, isto é, de rejeição provoca dois fenômenos na pessoa ferida: 1. medo da rejeição (medo de ser rejeitado novamente) e 2. autorrejeição (o trauma da rejeição faz a pessoa acreditar em uma crença negativa a respeito dela mesma em função do trauma).
Toda a experiência de rejeição é curada com o perdão em relação à pessoa que nos ofendeu, abusou ou mesmo nos abandonou, entretanto, para a cura completa da alma é preciso que as barreiras da autorrejeição caiam.
Em toda experiência de rejeição ou trauma emocional, a pessoa acaba absorvendo o medo da rejeição que esta experiência lhe causou e, como fruto deste medo, ela fica com a autoimagem partida, isto é, com autorrejeição: a pessoa não se sente amada, querida e com valor e assume como verdade uma mentira diabólica a respeito dela mesma, que causa dor e sofrimento.
Essa crença negativa que a pessoa internaliza a partir do trauma é uma MALDIÇÃO AUTO IMPOSTA.
Então, no processo de cura interior e libertação da rejeição, durante a oração, o Espírito Santo tem de trazer à memória da pessoa a raiz do problema: o evento traumático e revelar qual foi a crença negativa que a pessoa assumiu a partir daquele trauma, ou seja, como a pessoa se autoamaldiçoou.
A partir da revelação do Espírito Santo, a pessoa confessa em oração os sentimentos dolorosos que vivenciou com o trauma (ex: medo, abandono, ira, etc.), entregando-os ao Senhor e se arrepende da maldição auto imposta, isto é, arrepende-se de ter recebido como verdade uma mentira do inferno a seu respeito e declara a maldição auto imposta quebrada no nome e no sangue de Jesus, proibindo toda a influência demoníaca decorrente da iniquidade (da forma de pensar errada sobre si, da forma distorcida e desalinhada da Palavra de Deus de pensar a respeito de si mesma). Ex. de maldições auto impostas: "eu não valho nada", "eu sou inadequado", "eu sou incapaz", etc.
A pessoa tem de declarar sobre si as verdades da Palavra a seu respeito: que tem valor, que é filho de Deus, etc.
E lógico: a pessoa em oração precisa perdoar a quem lhe feriu e se perdoar também. Renunciar o medo e se aceitar.
Por fim, a pessoa deve se colocar diante do Espírito Santo e convidá-lo a ministrar o que Ele quiser ministrar a ela: muitas vezes, Deus dará visões curadoras as pessoas, testemunhará em seu íntimo palavras de afirmação ou lembrará ela de momentos em que ela se sentiu amada para promover a cura das emoções.
É importante lembrar que algumas experiências de rejeição foram fortes demais e desencadearam muitas crenças negativas diferentes no coração da pessoa. Então, é muito normal que o Espírito Santo cure a pessoa em estágios e trabalhe um aspecto diferente da mesma experiência de cada vez em cada oração, porque a pessoa não suporta tudo de uma vez.
Gostaria de trazer ao leitor um exemplo da minha vida:

Eu estava pesquisando sobre como a idolatria e o racionalismo apagaram o mover sobrenatural do Espírito Santo na igreja ao longo da história. Aproveitei para me colocar diante do Senhor e me arrepender por todo intelectualismo que dominou minha vida: desde muito pequeno, eu tinha uma sede enorme de adquirir conhecimento para me autoafirmar, para provar que eu era importante, digno de valor e, mesmo quando fui batizado com o Espírito Santo e agraciado com os dons espirituais, continuei sendo racional e confiando mais no conhecimento do que em Deus. Enquanto me arrependia desta iniquidade, o Senhor falou para mim: ‘VOCÊ É ASSIM PORQUE VOCÊ ACREDITA QUE NÃO É DIGNO DE SER CUIDADO’. Pedi ao Senhor revelação da origem disso e Ele me mostrou uma foto da minha mãe grávida em preto e branco. Ele me revelou que minha mãe passou para mim os medos que ela tinha em relação ao meu pai: engravidou solteira e não sabia se meu pai cuidaria dela e de mim. Confessei os pecados do meu pai e mãe pela concepção fora do casamento, confessei meus sentimentos em relação à experiência (medo, insegurança) e renunciei a iniquidade, quebrando-a no nome e no sangue de Jesus. Renunciei a maldição auto imposta "EU NÃO SOU DIGNO DE SER CUIDADO", quebrando-a no nome e no sangue de Jesus e proibindo toda a influência demoníaca decorrente da iniquidade. Perguntei ao Senhor se ele queria tratar mais alguma coisa em relação a esse incidente e Ele me disse: ‘essa experiência também fez você rejeitar seu corpo e acreditar que SEU CORPO NÃO É DIGNO DE SER CUIDADO’. Mais uma vez me arrependi da maldição auto imposta, renunciando-a e quebrando-a no nome e no sangue de Jesus e proibindo toda a influência demoníaca decorrente da iniquidade. O resultado: mais cura na minha identidade (passei a me amar mais e ficar melhor com minha autoimagem corporal) e mais amor pelos meus pais encheu meu coração”.

É de se dizer que essa oração também pode ser feita com o auxílio de um pastor, conselheiro ou libertador (Tiago 5:16), até mesmo porque, em muitos casos, a pessoa não tem força, nem luz para se libertar sozinha. Mas o ideal é que ela se fortaleça, seja educada neste processo a respeito de suas questões emocionais e desenvolva com Deus uma intimidade para receber diretamente dele a ministração da cura interior em oração.
 Por fim, acentue-se que esta não é uma mera mecânica. A cura interior é uma obra sobrenatural de ministração pessoal do Espírito Santo, mas que envolve por parte daquele que quer ser curado três grandes princípios: o arrependimento de pecados (de uma forma pecaminosa de crer a respeito de si mesmo), do perdão das ofensas praticadas contra si e do perdão de pecados e iniquidades que o Senhor nos dá por intermédio do nome e do sangue de Jesus – sem esses três elementos, não há cura, portanto, o primeiro passo essencial de todo aquele que quer ser curado é renunciar ao orgulho e ter uma disposição de a tudo perdoar, inclusive a si mesmo quando necessário, dependendo inteiramente do Espírito Santo para o seu processo.

Pablo Luiz Rodrigues Ferreira
rugidodaverdade.blogspot.com



segunda-feira, 20 de novembro de 2017

UMA GERAÇÃO ENTREGUE À SUA PRÓPRIA SORTE: A IRA DE DEUS


“A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si;” (Romanos 1:18, 24 ARA).

Muitas vezes, pensamos na ira de Deus como algo que cai do céu como fogo e enxofre, tal como foi a destruição de Sodoma e Gomorra.

Esperamos a manifestação da ira de Deus através de um evento catastrófico na vida de uma pessoa ou nação, mas esquecemos do texto de Romanos 1: Deus condenando uma geração inteira como manifestação de sua ira, entregando-a à sua própria sorte, isto é, retirando os freios que impediam que a iniquidade se espalhasse.

Meu irmão, não se engane. Ideologias alienantes como a de gênero, em que os conceitos de homem e mulher são fluidos e determinados de acordo com a vontade da pessoa em sua mente, as tentativas de sexualizar as crianças desde cedo através dos meios de comunicação, da arte e da educação nada mais são do que a manifestação da ira de Deus que já entregou nossa geração à sua própria sorte.

Tais ideologias hoje só são frutíferas e ganham cada vez mais adeptos porque a iniquidade humana desenfreada conseguiu desestabilizar nosso pilar de amor, aceitação e valor como pessoas, qual seja a família.

O processo começou há muito atrás, muito tempo antes da ideologia de gênero: começou com a permissividade sexual que desestabilizou as famílias e acabou com a paternidade segura, de modo que hoje muitos já não sabem mais quem são e não gozam da verdade fundamental de que foram criados por Deus para serem amados.

Estamos sob a ira de Deus. Para aqueles que são filhos de Deus, lavados e remidos pelo sangue de Jesus, o que nos cabe é não só combater tais ideologias, mas trabalhar em nossas igrejas pela restauração das bases familiares: fortalecer os casamentos, a criação dos filhos à maneira de Deus com amor, diálogo e disciplina no temor do Senhor.

De nada adiantará pregarmos sobre unção e o mover sobrenatural do Espírito Santo para os nossos adolescentes e jovens (e para todos, em geral) se eles estiverem totalmente desestruturados dentro da família, cheios de amargura e falta de reconciliação dentro da família. Uma pessoa desobediente e iníqua em casa não será bênção na igreja.

Temos que tomar posse da unção de Elias e lutar pela conversão do coração dos filhos aos pais e do coração dos pais aos filhos para que o Senhor flua no nosso meio:

“Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição” (Malaquias 4:5-6).

Pense nisso: o que falta para tomarmos posse dessa unção? Em que aspectos precisamos ser restaurados dentro da família?

Deixe o Espírito Santo lhe sondar.


Pablo Ferreira

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

TRANSBORDANDO DE ESPERANÇA


"Oro para que Deus, a fonte da esperança, preencha-os completamente com alegria e paz, porque vocês confiam nele. Então vocês irão transbordar de esperança confiante através do poder do Espírito Santo" (Romanos 15:13 New Living Translation).

Nossa humanidade dos dias de hoje é extremamente racionalista em todo conhecimento que tenta adquirir; até a teologia tenta "conhecer" Deus racionalmente através de um conjunto elaborado e sistematizado de doutrinas bíblicas.

Entretanto, Deus quer que adentremos num recinto com Ele em que a razão não o explica, mas o coração pulsa de amor; em que o intelecto não domina, mas a intuição anseia em se entregar ao abraço do Pai.

É nesse recinto em que nossas afeições afloram e o intelecto não limita a ideia de quem Deus é e o que Ele pode fazer que recebemos poder do Espírito Santo para ter uma esperança transbordante e operar no sobrenatural para sermos transformados de dentro para fora e ser canal da graça e dos milagres do Senhor.

Pense nisso: até que ponto você tem limitado Deus racionalmente?

Não tente encaixar Deus na sua "teologia" e mergulhe nas profundezas do Espírito Santo.

Ore e deixe que Deus transforme a letra da Palavra em vida para você, seja levando-o ao arrependimento, seja infundindo-o com poder para lhe trazer renovo espiritual.


Pablo Ferreira

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

A ILUSÃO DE ESTAR NO CONTROLE


"A razão pela qual muitos ainda estão atormentados, ainda procurando, ainda fazendo pouco progresso é porque eles não chegaram ao fim de si mesmos. Eles ainda estão tentando dar ordens e interferir com o trabalho de Deus conosco" (A. W. Tozer).

Um dos traços mais marcantes da nossa natureza humana corrupta pelo pecado é que, ainda que num nível inconsciente, temos a ilusão de estar no controle da nossa vida espiritual: achamos de damos conta "daquele pecado doméstico", que não precisamos de ajuda ou mesmo de prestar contas da nossa vida para outro ser humano ou mesmo que não precisamos de conselho de ninguém...

...vivemos para preservar uma reputação...

...vivemos sem nos dar conta de que, muitas vezes, estamos num cárcere, no qual o nosso verdadeiro "eu em Cristo" espera para sair de grandes amarras de vergonha e/ou de um coração há muito tempo cauterizado...

...essa ilusão de estar no controle só nos leva a acumular lixo espiritual, já que deixamos nossa estrutura de iniquidade intocada e gozamos da cegueira espiritual que ela traz consigo.

Só queremos que Deus nos abençoe, mas, na maioria das vezes, não estamos dispostos a deixar Deus tocar nas nossas vaidades e deformidades de caráter:

"Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes" (2 Timóteo 3:1-5 ARA).

Até que ponto nosso orgulho e autossuficiência têm nos impedido de receber o melhor de Deus para nossa restauração?

Corremos atrás de migalhas: coisas materiais (carro, casa, casamento, emprego), mas não da plenitude do Espírito Santo em nós.

Exponha-se: deixe a luz de Deus entrar através da confissão de pecados, arrependimento e oração de renúncia das iniquidades junto a um irmão maduro na fé ou de sua autoridade espiritual, líder, conselheiro (Tiago 5:16): o quanto isso quebra nosso orgulho e nos cura por dentro.

Peça ao Espírito Santo o quebrantamento que vem dele. Sem a retirada da iniquidade, nunca haverá avivamento pessoal.

Pablo Luiz R. Ferreira
rugidodaverdade.blogspot.com.br
pablolrferreira@hotmail.com


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

FAÇA UMA FAXINA EMOCIONAL


Que, a cada dia, o perdão seja o nosso estilo de vida para que nosso coração não pare de florescer para Deus.

Não se deixe contaminar por pessoas que reclamam e têm uma visão muito negativa de tudo: esse é um veneno que não podemos beber. Cuidado com quem você convive e decide se associar.

E se você é a pessoa reclamona e negativa, saiba que isso não só matará sua fé e esperança se você não cuidar adequadamente (seja tomando jeito por si mesmo ou buscando ajuda profissional psicológica), mas debilitará a química do seu cérebro (com a produção de cortisol e outras substâncias nocivas e que podem levar ao aparecimento de doenças psicossomáticas, tal como depressão e ansiedade patológica) e, por conseguinte, o seu corpo, além de minar seu sistema imunológico, que fica enfraquecido e deixa seu corpo mais suscetível a doenças.

Cuidado com o vitimismo e a autodepreciação.

Mantenha a esperança firme em Deus e pense nas coisas celestiais, em tudo o que é puro, honesto, justo, de boa fama, amável (Filipenses 4:8).

Procure ajuda de um psicólogo se precisar.

Sempre creia que a fé em Cristo Jesus e em sua providência é o nosso maior pilar de reconstrução.

Faça uma faxina emocional em sua vida e se torne um excelente cuidador de si mesmo. Não busque no outro aquilo que só você pode se dar. Só você pode se valorizar na medida em que você precisa. E só Deus pode preencher os espaços vazios do seu coração.


Pablo Ferreira

sábado, 21 de outubro de 2017

GRATIDÃO PELO ESPÍRITO SANTO EM NÓS


“Mas você não é controlado por sua natureza pecaminosa. Você é controlado pelo Espírito se você tem o Espírito de Deus que vive em você. (E lembre-se de que aqueles que não têm o Espírito de Cristo que vivem neles não pertencem a ele.) E Cristo vive dentro de você, então, mesmo que seu corpo morra por causa do pecado, o Espírito dá-lhe vida porque você foi feito justo com Deus” (Romanos 8:9-10 New Living Translation).

Pense nisso: precioso crente, não importa o que você espera da vida em termos de futuro, seja grato hoje pela bênção que Deus lhe deu de ser habitação pessoal do Espírito Santo, este que lhe dá vida através da comunhão com Ele e de Seu testemunho interno e eficaz.

O mundo não tem essa preciosa consolação: ele está aprisionado em ideologias perversas e paixões infames.

Deus não nos chamou para um eterno estudo de doutrinas bem sistematizadas, mas para um relacionamento real e poderoso que comunica vida e transfere vida.

A paz do Senhor. Seja grato pelo precioso Espírito Santo.


Pablo Ferreira